Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sem Filtro

“Uma gargalhada por dia nem sabe o bem que lhe fazia:)”

Sem Filtro

“Uma gargalhada por dia nem sabe o bem que lhe fazia:)”

#Verão, férias, calor e praia#

IMG_8592.JPG

 

Cheira a verão e férias. calor e praia. ir e desligar. praticar o não-fazer-nada e deixar a leveza entrar.

 

As nossas férias deste ano começam a partir de hoje. Vão ser duas semanas maravilhosas junto da minha maravilhosa família,junto de amigos do coração e na hora de fazer as malas só quero pensar num verbo: d e s c o m p l i c a r .

 

Túnicas, chinelo de dedo, vestidos, saias, calções. roupa muito, muito leve e a condizer com o espírito dos próximos dias: gratidão!

 

 Verão. verão do meu coração. verão da minha alegria. Meu querido mês de agosto trazes-me sorrisos no rosto meu querido mês de agosto.

 

Férias, verão ensinas-me a escapar ao planeado, ao óbvio, à pressão do dia a dia, à pressa não se sabe de quê e à urgência que não deixar focar no que de verdade importa.

 

Apontas-me o caminho dos dias azuis, de acordar de manhã com vontade de saltar da cama, dos dias grandes sem horários, da luz mais bonita do entardecer, do ir sem medo das subidas ou das curvas. Mostras-me como viver com menos e sentir mais. Dás-me alegria na simplicidade das coisas e desanuvias-me da pressão da estação inteira. Contas-me em segredo como viver com simplicidade e alegria, de coração aberto, com a certeza de que todos os dias são feitos para serem bem vividos, porque a felicidade está apenas e só naquilo que nos acrescenta vida.

 

Verão, verão do meu coração. verão da minha alegria.

 

Contigo respiro muito melhor e todos os anos volto a acreditar que és muito mais do que a minha estação preferida, és a minha forma preferida de estar na vida.  

#Antes de Partir#Ás minhas pessoas SOL#

the-bucket-list-presentation-3-638.jpg

 

 

Ontem dei por mim estupidamente a chorar com um filme chamado “Antes de Partir”

O bilionário Edward Cole (Jack Nicholson) e o mecânico Carter Chambers(Morgan Freeman) são dois pacientes terminais que se encontram a ser tratados mesmo quarto do hospital. Quando se conhecem, resolvem escrever uma lista das coisas que desejam fazer antes de morrer e fogem do hospital para realizá-las.

 

Filme magnifico, que faz uma reflexão sobre o sentido da vida, algo que pode ser entendido melhor perante a perspetiva da morte. Qual o sentido do acumularmos bens materiais.? Vale a pena sacrificarmos a nossa vida familiar em busca de determinados resultados? Quantos são aqueles que no leito de morte percebem ter levado uma vida sem sentido? Os personagens do filme tiveram a oportunidade de rever muitos aspetos de sua vida. A maioria infelizmente não tem a mesma hipótese.

 

E eis que ao ver o filme dou por mim a chorar descontroladamente mas completamente louca…

 

A minha cara metade entra na sala e questiona-me o que aconteceu…

 

Eu: a chorar desalmadamente digo foi este filme

Cara metade: é um filme…não fiques assim..

Eu: oh meu deus eu não quero que os meus pais morram!

Cara metade: mas aconteceu alguma coisa? Os teus pais estão doentes?

Eu: nãoooo mas eu não quero que eles morram.

Cara metade: oh oh ganha juízo os teus pais estão muito bem e se Deus quiser ainda vão estar aqui muitoss anos!

Eu: a chorar, a chorar…

Cara metade: não fiques assim e deu-me um abraço.

 

Resumindo sei que isto é inevitável …mas não quero acreditar! Dei por mim a pensar que não sei estar sem os meus pais e que nunca os quero perder…eles são a minha base, o meu abrigo, os meus melhores amigos, tenho um cordão umbilical com eles e nunca mas nunca os quero perder…e só de pensar nisso até fico já com as lágrimas nos olhos…

 

Os meus pais são das melhores coisas que tenho… acho que ninguém está preparado para a morte mas eu não estou mesmo.

Tenho sempre muito para lhes agradecer e não me esqueço. Por muitos sonhos que tenha, por muitos planos que faça, por muitos caminhos que se abram para mim, sei que o melhor que há na vida é tudo o que já tenho, tudo o que já sou, tudo o que ganho, e tudo o que dou e isso deve-se ás pessoas mais linda que conheço, as minhas pessoas sol: os meus pais.

 

Mamã e Papá vocês são o meu arco-íris! Amo-vos daqui até à Lua!

#Elite? eu sei lá se gosto dela?#

 

Elite-image.jpg

 

Esta é uma das histórias da minha vida que me marcou e que me envergonho e que me rio…

Aqui vai:

 

Sempre fui uma miúda que gosto de pessoas! Conviver com pessoas é a minha onda e facilmente sempre fiz amigos.

 

Quando andava no 2.º ciclo tinha uma turma grande.

 

Morava a 25 minutos da escola onde estudava e ía e vinha a pé…naqueles tempos os nossos pais não nos levavam à escola de carro, como hoje, vínhamos a pé e divertíamo-nos imenso.

 

Na altura lembro que os meus pais moravam num sítio onde todos os vizinhos se conheciam…toda a gente sabia quem eu era e os meus pais sabiam quem eram os filhos(as) dos vizinhos.

 

Portanto de manhã combinávamos as horas e íamos a tagarelar o caminho todo, a tocar nas campainhas de alguns prédios e a fazer diabruras…e lá íamos até chegar à escola.

 

Normalmente eu vinha sempre acompanhada de algumas amigas e amigos. Parecíamos as personagens do livros da coleção “Uma aventura na”…neste caso era uma aventura na escola, eramos: Eu, a Andreia, a Nazaré, o Pedro e André…mas se existissem mais meninos(as) que morassem ali perto de nós, juntavam-se ao grupo e íamos todos juntos por ali fora..

 

Sentia-me super bem no meio deste grupo.

 

Contudo a minha mãe não gostava em particular da minha amiga Andreia, naquela altura achava que era má companhia. Essa minha amiga tinha cabelos compridos até aos pés(maneira de dizer, tinha a ver com a religião dela), a minha mãe achava que ela não era muito limpinha…enfim…devaneios da minha mãe…ela lá tinha os seus argumentos para não gostar dela…eu gostava imenso dela e do irmão mais velho dela que achava um borracho😊

 

Certo dia, depois das aulas por volta das 18h00 estávamos nós a regressar a casa, eu e ela eramos magras como a Olívia Palito e vínhamos na alta cavaqueira com os rapazes a rir-nos e a falar alto.

 

O sítio onde morávamos tinha jardim e a toda a volta era circundado pela nossas casas, ou seja, era sítio pequeno, naquela altura ao mínimo ruído tudo se ouvia e se sabia.

 

Eu vinha super divertida e a falar alto e a dizer parvoíces…para variar…

 

Entretanto despedi-me dos meu amigos e entrei em casa…

 

Estava à minha mãe com cara de quem me ía pregar uma solha…e eu só pensava o que foi que eu fiz…

 

Mãe: Sara Luísa (sim é o meu segundo nome, ninguém merece)anda cá…

Eu: a pensar: Oh não já vou apanhar…quando a minha mãe me chamava assim estava o caldo entornado…

Eu: sim mamã…

Mãe: eu não gosto daquelas amigas tens…

Eu: oh mamã mas eu gosto, são as minhas amigas!

Mãe: vocês parecem umas arruaceiras e marias rapazes…vêm com aqueles rapazes todos à vossa volta. Não gosto nada disso!

Eu: mas oh mamã são meus amigos e gosto deles…

Mãe: ou te portas bem ou isto vai acabar…

Eu: mas oh mamã…

Mãe: nem oh mamã nem oh papá …se continuas assim vou tirar-te daquela escola e vais para uma escola de elite…

Eu: já a chorar, muito chateada com a minha mãe disse: oh mamã não me faças isso, eu sei lá se gosto da elite, eu gosto das minhas amigas!

 

A minha mãe que estava muito séria desmancha-se numa gargalhada… e eu muito chateada porque pensava eu (ingénua) que a elite era uma menina.

 

A minha mãe lá me explicou o que era a elite…deu-me um abraço e pediu-me para me portar melhor…

 

Oh my god que vergonha…😊não me gozem por favor…

 

Ainda hoje lá em casa quando falamos disto desatamos todos a rir😊