Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sem Filtro

“Uma gargalhada por dia nem sabe o bem que lhe fazia:)”

Sem Filtro

“Uma gargalhada por dia nem sabe o bem que lhe fazia:)”

#Reguadas na escola alguém levou?#

 

reguada.png

 

Não sei como foi a vossa escola primária, eu gostava muito da minha. Ainda por cima tinha o privilégio da minha escola ser em frente à casa dos meus pais…era só atravessar a rua.

 

Os meus colegas de turma eram os meninos(as) que costuma brincar na rua..sim naquela altura podíamos brincar na rua livremente sem os nossos pais. E era muito bom.

 

Todos tem alguma história para contar sobre a escola, não me lembro em particular de nenhuma história, lembro-me da minha professora…

 

Na minha escola Primária, a nº 2 de S. Caetano, tive sempre a mesma professora da 1ª à 4ª classe, a Professora Irene. Era uma mulher alta, loura e com um ar meio british!

 

A professora Irene era uma excelente professora, sinto que terminei a primária muito bem preparada. Quando fui para a preparatória é que tive noção disto porque percebi que alguns colegas tinham dificuldades em algumas matérias mas eu não sentia isso. Sentia que estava bem preparada.

Isto deveu-se muito à Professora Irene.

 

Porém tenho um pormenor muito importante para vos contar da professora Irene, ela era má como as cobras…Rais parte a professora Irene.

 

Era daquelas professoras más… nós andávamos todos a toque de caixa, se é que me faço entender. Não sei como era no vosso tempo mas no início do ano letivo a escola oferecia-nos material escolar: um caderno de linhas, um lápis e uma borracha. E lembro-me que ai de nós que partíssemos a borracha… que ficávamos de castigo…escusado será dizer que eu fui uma das que parti a borracha.

 

Eu era muito boa aluna mas era uma miúda muito distraída, qualquer coisa estava eu a olhar para a janela da sala e a sonhar lá para fora… Eu falava com o colega do lado, o de trás ou o da frente, eu punha-me a balouçar na cadeira por mais que a professora mandasse parar era típico da idade e normalmente ela escrevia um recado para casa no caderno…a dizer a Sara é uma aluna muito distraída bla bla bla… sei lá devia ter vários recados destes por ano…lá ía eu para casa toda angustiada mostrar isto à minha mãe…já não me bastava a angústia de ir para escola, ainda tinha que ir para casa ouvir um sermão da minha mamã. E naquela altura também tinha muito medo da minha mamã me ralhar.

 

Apesar disto, lembro-me que pontualmente a Professora Irene tinha que sair da sala ( devia ser para ir ao wc ou outra coisa qualquer tipo reemprender a senhora que limpava a escola, ela era a bruxa má, só podia fazer coisas más) e pedia-me para a substituir e tomar conta dos meninos, escusado será dizer que eles faziam o que queriam e eu deixava e quando a Professora Irene chegava estava o caldo entornado.

E lá ficava eu de castigo porque deixei os meninos estarem a brincar… grrrr bruxa má!!!!

 

A Professora Irene era má quando os meninos não faziam os TPC (trabalhos de casa) ou diziam algo que ela não gostava ela dava uma reguada…puxava as orelhas, atirava-nos os cadernos… aquilo era horrível…eu e todos tínhamos muito medo dela. Ainda para mais a minha mãe queria que fosse muito boa aluna e ás vezes depois das aulas ainda ía para casa dela…eu odiava…

 

Eu fui uma das felizardas que nunca levei uma reguada, contudo, vivia apavorada com isso e muitas vezes dizia a minha mamã que não queria ir para escola porque me doía a barriga. De facto doía mas era a angústia de não querer ir para a escola.

 

Infelizmente não era suficientemente esperta para adulterar o termómetro e fazer de conta que estava com febre…ai se fosse hoje LOL

 

Depois de 4 anos de sofrimento não só por mim mas pelas maldades que ela fazia aos meus amiguinhos…prometi a mim mesma que um dia me vingava… e assim foi…

 

Quando entrei para a escola preparatória resolvi cumprir a promessa e todos os dias quando voltava da escola para ir para minha casa…o que acham que eu fiz????

 

Passava na porta da casa dela e tocava a campainha várias vezes…ela vinha à porta e eu fugia…

 

Eu sei que vou para o inferno por causa disso e provavelmente a Professora Irene que Deus a tenha (já faleceu) um dia vai me aparecer de noite…mas foi o que pareceu correto…

 

Não sou contra uma palmada nos nosso filhos mas a régua que ela tinha!!! aquilo era de fugir, de madeira com mais ou menos 20 cm e grossa.

 

Eu sei que ela nos estava a tentar disciplinar e provavelmente fez o que achava que era melhor para nós mas caramba! Aquilo era mesmo mau!

 

Não sei porque me lembrei da minha escola mas ainda bem! Lembro-me que muitos pais iam à escola dar ordem à professora para, se nos portássemos mal, nos por na linha! Com pais assim, quem precisava de inimigos!!!   Tudo se perdoa e agora costumo dizer "ela não era mau diabo"...mas, mesmo que só um bocadinho, era diabo!

 

Alguém já levou uma reguada?

#Coisas boas acontecem#

_sol_.jpg

Há coisas na nossa vida que nos acontecem porque têm que acontecer! Acredito que devemos manter por perto as poucas certezas que nos bastam.

 

Aprender melhor a viver devagar. Compreender as perguntas para as quais ainda não temos respostas.

 

Confiar bastante no tempo certo de tudo e na verdade de todas as coisas. É no caos que descobrimos quem somos, o que queremos e do que somos capazes.

 

Seja o que for, seja onde for, seja com quem for, acalma o teu coração, vira-te sempre de frente para o sol, e confia.

 

Deixa que a Vida faça aquilo que sabe fazer melhor: dar voltas. e tornar-te mais forte. 

#Elogio a todas as mães#

 

SER-MÃE-LONGE-DA-NOSSA-MÃE-e1484336800831-696x46

 

Hoje ao ler um texto de um blog que sigo muito “Em Linha Recta”quero fazer um elogio a todas as mães do mundo…

 

O meu sonho sempre foi ser mãe...mas não estava à espera do turbilhão de emoções que passámos e daquilo que abdicamos de nós para criarmos um filho. E não me venham com tretas não me acredito que nenhuma mãe não tenha sentido um único dia uma vontade de chorar e mandar tudo à fava porque teve um dia do caraças... porque de repente deixamos de ter a nossa identidade e passamos a ser a mãe de alguém em todo lado...porque se esquecem que nós existimos que temos as nossas vontades... sim somos mães, mas somos mulheres, esposas, amigas, filhas...não deixamos de ser nós, apenas somos muito mais, somos alguém que a abdica do amor próprio para cuidar do nosso maior amor...

 

Ser mãe não é tarefa fácil. Nunca foi nem nunca será.

 

É querer ser mais e melhor todos os dias para que ele nunca saiba a falta que uma mãe faz. É deitarmo-nos a chorar baixinho para que o nosso companheiro não ouça. É chorar quando o pequeno chora também.

 

É obrigar-nos a levantar todos os dias, porque temos alguém que precisa de nós. Mas nós também precisamos… e por mais que os companheiros sejam bons rapazinhos, mãe é mãe…a mãe é que sabe e sente o que o filho sente…

 

Quantas mães não têm dois empregos para conseguir pagar creches, ATL’s, amas e sei lá mais o quê? Quantas mães perdem os companheiros porque o fardo e a responsabilidade são tão grandes, que deixam de ter amor-próprio?

E tantas outras questões haveria… E tantas outras histórias existem para contar…

 

Fica aqui um elogio a todas as mães…

 

Obrigada por tudo o que fazem pelos seus bebés.

Obrigada pelas noites que deixaram de dormir.

Obrigada por colocarem sempre os seus filhos em primeiro lugar.

Obrigada por estarem sempre preocupadas com eles

Obrigada por muitas vezes deixarem de se arranjar porque não têm tempo.

Obrigada por aguentarem o bico do peito ferido, e mesmo assim darem de mamar como se fosse a melhor coisa do mundo.

Obrigada por mudarem as fraldas mal cheirosas.

Obrigada às mães que ficaram em casa e abdicaram das suas vidas, para tratarem dos seus filhos.

Obrigada às mães que têm de trabalhar, e que com toda a certeza vão de coração apertado por terem de deixar os seus filhos. 

Obrigada às mães que muitas vezes chegam a casa do trabalho e os seus filhos já dormem, e elas aguentam a tristeza de já não os conseguirem ver de olhitos abertos. 

Obrigada às mães solteiras que fazem o papel de pai e mãe ao mesmo tempo, por muito que isso as deixe mortas de cansaço. 

Obrigada às mães divorciadas, que continuam a dar o maior amor do mundo, e protegerem os seus filhos de tudo por muito que ainda estejam magoadas com a separação.

Obrigada a todas as mães leoas, que defendem os seus filhos acima de tudo e todos.

Obrigada a todas as mães que perderam os seus filhos e conseguem arranjar forças para seguir em frente. Vocês nunca deixarão de ser mães.

Obrigada às mães que adotam.

Obrigada às mães que sofreram a dor de um parto normal.

Obrigada às mães que passaram por uma cesariana e ficaram com a marca no vosso corpo para sempre.

Obrigada a todas as mães que se sentiram inseguras e com muitos medos (como eu). Mas mesmo assim fizeram sempre o melhor para os vossos bebés

 

Sinceramente a todas as mães ... nós somos as MAIORES... SOMOS UMAS GUERREIRAS! SOMOS as verdadeiras heroínas…

 

Obrigada a todas!!!!